Chocolate também traz benefícios

A data mais gostosa do calendário já está aí recheando as prateleiras das lojas e dos supermercados com muito chocolate, então pensei: “Que tal falar dessa delícia que todo mundo adora?”.  O chocolate tem diversas composições e, apesar de ser lembrado como o responsável por alguns quilos a mais, também oferece benefícios à saúde, como o efeito estimulante, semelhante ao da cafeína.

O chocolate contém magnésio, cobre, potássio e manganês, além de flavonoides, compostos antioxidantes que melhoram a saúde cardiovascular. É um alimento capaz de estimular a liberação de endorfina no cérebro, resultando na elevação da disposição mental. O consumo indicado é de chocolate meio amargo, pois é o composto com maior quantidade de flavonoides, se a escolha for por chocolates com percentual de cacau acima de 50%, melhor. Mas não podemos exagerar na quantidade, o recomendado é a ingestão de 16g a 100g por dia para a obtenção de seus benefícios, cerca de seis quadradinhos de uma barra, o excesso pode causar aumento de peso.

Não abusando, dá para experimentar um pouquinho de cada tipo de chocolate, pois são diversos:

  • Chocolate ao Leite: pasta de cacau, açúcar e leite, ou leite condensado;
  • Chocolate Branco: manteiga de cacau, açúcar e leite;
  • Chocolate Amargo: pasta de cacau, pouco açúcar, com ou sem leite;
  • Chocolate Composto: pasta de cacau, açúcar, leite ou não, além de mel, amêndoas, amendoim ou outro alimento;
  • Chocolate Fondant: produto com, no mínimo, 30% de gordura de cacau;
  • Chocolate Recheado: produto com recheio comestível, sendo que, pelo menos, 40% de seu peso devem ser de chocolate;
  • Chocolate Diet: manteiga de cacau, leite, edulcorantes como sorbitol e sacarina, usados em substituição ao açúcar, e aroma de vanila;
  • Chocolate em Pó: cacau e açúcar;
  • Chocolate Cobertura: produto com maior percentual de manteiga de cacau e menor quantidade de açúcar;
  • Chocolate Orgânico: feito com cacau cultivado em condições orgânicas;
  • Chocolate de Soja: o leite é substituído por lecitina de soja.

 Antes de ser barra, o chocolate era consumido apenas como bebida

Originalmente exótico, o chocolate foi consumido durante anos como uma bebida quente. Apenas depois da Revolução Industrial, tornou-se popular e acessível a diferentes classes sociais em forma de tabletes.

Seu consumo já acontecia desde antes da época de Cristo e, claro, já sofreu grandes transformações tanto em sua produção, quanto em seu uso. O chocolate nasceu como um alimento divino. Era consumido por nobres Astecas até ser descoberto pelos espanhóis, sendo difundido por toda a Europa. Foi na segunda metade do século XX que o chocolate ganhou sabores especiais, referenciados por culturas locais, dando origem ao que hoje conhecemos.

Inverno Studio
Crédito da foto: Shutterstock